segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Girls who are boys who like boys to be girls...

Quando eu dizia que todo mundo deveria nascer naturalmente bissexual - ou hermafrodita - me olhavam torto, como se estivesse dizendo algo de outro mundo. Dizia isso porque, conversando com minhas colegas de escola, a gente constatava que tinha menos homens no mundo que mulheres.

Nunca pensei em ser bi ou lésbica, gosto dos homens e amo seus paus. Mas verdade seja dita, não seria tão difícil achar uma pessoa pra compartilhar a vida. Claro, afinal de contas, as chances dobrariam.


***


Esses tempos deu na Oprah um caso no mínimo interessante e curioso.
Um casal, cujo marido era originalmente uma mulher - que havia até mesmo sido modelo na adolescência -, queria ter um filho, mas a mulher tinha dificuldades. Como o homem ainda tinha todo o aparelho reprodutor feminino (útero, ovários, etc), ele prontamente se ofereceu para ficar "grávido". Deu certo. Esses tempos mesmo nasceu o bebê - é uma garota.

Hoje um caso parecido no programa: um casal em que o marido resolveu trocar de sexo. Detalhe: casaram-se como marido e mulher, tiveram 3 filhos e apenas há 4 anos o marido resolveu se transformar. As duas continuam casadas e felizes. Acreditam ser 2 metades da mesma laranja. E lésbicas.

Já há um tempinho atrás, estava vendo MTV na Rua quando deu uma notinha sobre um senhor de 70/80 anos que ia fazer uma cirurgia para troca de sexo. Em seguida, a Penélope saiu perguntando para os espectadores o que achavam disso. Uma guria moderninha de pronto começou a despejar seu discurso despreconceituoso, que se o velho quer virar mulher, que problema tem, que seja feliz, cada um faz o que bem entender... Ao passo que a apresentadora muda o teor da questão e pergunta "Se o seu avô resolvesse trocar de sexo, você ia achar legal?". A guria esbugalhou os olhos e quase gritou "Ahhhh, daí é diferente..."


***


...como se estivesse dizendo algo de outro mundo.
Mas já dizia a canção, "Streets like a jungle..."

6 comentários:

Frederick Martins disse...

"Nunca pensei em ser bi ou lésbica, gosto dos homens e amo seus paus."

Quem me dera que existissem no mundo mulheres tão ou mais sinceras quanto tu.

E sim, setembro negro. Mas não se preocupe, tudo vai dar certo.

brunette disse...

Sabe, eu já pensay em ser lésbica, mas só pela Penelope Cruz.

Mas eu acho que ia sentir falta de alguma coisa.

Se meu avó quisesse trocar de sexo, eu ia dar razão. O coitado teve 11 filhos, desses 9 eram mulheres. Coitado, passou a vida aguentando pitis femininos. Tem o direito de revidar.

natusch disse...

Comentário GENIAL da Bruna =P

E concordo com o Fred. Se tivéssemos mais mulheres capazes de tamanha sinceridade com o mundo e consigo mesmas, a quantidade de mulheres (e de homens) felizes no mundo seria muito, mas muitíssimo maior.

Depois do setembro negro, o outubro azul. Que tal? =P

Beijo

Frau Bersch disse...

nossa, agora ficou parecendo que mulheres que gostam de homens e amam seus paus são raras nesse mundo o.Õ um universo lésbico!

Frederick Martins disse...

A maioria não admite uma coisa dessas, Judite. Preferem ficar demonstrando que são exemplos da fábula da mulher independente (sinônimo de piada pronta), demonstrando que pode ficar séculos sem uma boa noite do lado de um exemplar do sexo oposto.

Sem falar daquelas que beijam outras mulheres na boca apenas para provocarem o homem, o que vamos combinar, é patético.

Me refiro a isso. E só a isso. Mulheres que dêem a cara a tapa e falem a real do que fiquem escondendo o óbvio, dando uma de santinhas e jogando toda a culpa nos homens.

Deu por hoje.

Comentarista Abalizado disse...

Quando é nosso filho, é homossexual... quando o filho é dos outros, é viado.

Por mais moderninho que se seja, o mundo todo pensa assim. Só fingem não pensar!