quarta-feira, 30 de abril de 2008

Curto e grosso...

[Sem o perdão do trocadilho.]

Pois é. Em cartaz, mais um produto da indústria cultural para abrandar os mais profusos desejos das massas. No caso, estamos falando dos homens de pau pequeno. É a versão para cinema de Iron Man - O Homem de Ferro. Sem qualquer propriedade para entrar no mérito da adaptação, que, pelo que ouvi dizerem, ficou muito boa, me concentro na questão fábrica-de-sonhos, cuja função nossos produtos de ficção tendem a assumir para si.

Não é de agora que o homem projeta em suas fábulas, contos e histórias aquilo que gostaria de ter ele próprio. Junto aos míticos e heróicos personagens com os quais nos identificamos, sofremos diante de cada perda, torcemos pelo final feliz, esperamos pelo amor que não vem, nos agoniamos com o pesar que não acaba. Não é raro o autor de livros ou o ator de um filme dizer que sua profissão lhe permite exercer tantas outras. Até mesmo um reles leitor ou espectador é capaz de viver uma outra vida quando aprecia uma obra. A capacidade de projeção do ser humano é, talvez, a característica que mais nos diferencie enquanto espécie de todas as outras. Exclusividade nossa, nos é inerente e a fazemos o tempo todo. Até quando a bunda da vizinha parece mais gostosa que a nossa. "Ah, se a minha bunda fosse como essa, quanto mais ela não veria...!"

Fato é que no cinema essa projeção ganha dimensões de sonho: a gente enxerga, a gente ouve, a gente recebe a informação no ritmo (supostamente) ideal para que a experiência fílmica seja desfrutada ao máximo. Nosso grau de projeção se potencializa de tal maneira que um filme bem feito nos faz rir até cair ou chorar até a última gota. Se a gente parar pra assistir a um bom filme com muito carinho, a gente realmente aproveita a chance de viver um pedaço de uma nova vida. A gente se entrega, a gente incorpora, a gente vive aquilo. E é tudo dado tão mastigadinho... Tá tudo lá, pronto pra consumo! Ah, a fantástica indústria cultural!

Aí vêm os filmes para todos os tipos de necessidade, claro! Porque neste mundo, meu bem, há louco pra tudo! Quer se transformar da feia à mais bela em 5 dias? Tá cheio de teenage movie com esse plot. Quer usar a sua lógica para desvendar os mais intrigantes crimes? Veja um bom filme detetive-policial. Você foi frustrado tentando ser o melhor jogador do mundo e hoje sofre, resignado, como um simples torcedor? Tem zilhões de filmes dos piores times do mundo - que se tornam os melhores, obviamente. Imortalidade? Entrevista com o Vampiro. Simplicidade? Amélie Poulain. Quer experienciar algo que jamais seria capaz de fazer na vida real? Trainspotting.

Tem remédio pra tudo. E pra pinto pequeno também.


Iron Man tem tudo aquilo que a gente ama: carrões tunados, poderio (bélico) absurdo e muuuuito dinheiro no bolso. É o que t-o-d-o-m-u-n-d-o quer. Eles, pra conseguir mulher. Elas... Bem, porque são elas. As puuutas! Não é à toa que o protagonista sempre se dá bem com a mulherada. E convenhamos... é um trintinha bem meia-boca! Pelo menos para os meus padrões. [É que padrão Mike Patton requer realmente um nível absurdamente elevado. *caham*]

A cada explosão, a cada um dos (doze?) modelos fodônicos de carro, a cada uma das (trinta?) mulheres boazudas e gostosonas comidas, a cada pedaço de metal indestrutível forjado, ou a cada novo item de tecnologia de próxima geração, uma reafirmação da (uh!) masculinidade que todos os homens da sala de cinema gostariam de ter - e, porra, vamos combinar, a não ser que sejam músicos famosos, ou chefões do tráfico, ou um atleta fenômeno ou um rapper americano, jamais terão! E ainda assim, duvido que consigam a metade! É tanta, mas tanta ostentação de poder e machismo que eu quase saí do cinema convencida de que eu tinha um pau. E minúsculo!

Não vou jogar toda a culpa neste filme solamente. É um plot copiado, uma fórmula que, sim, dá certo! James Bond deve ser o precursor - não sou boa para indicar a verdadeira origem das coisas, sintam-se à vontade para me corrigir e disseminar vossa sabedoria particular. Ele simplesmente veio a calhar, num dia em que eu estava especialmente com meu sensor de canalhice ligado e com um filme que mostrou isso tudo de maneira tão gritante.

Aplausos para o homem que tem tudo o que quer. Ovações para o homem que tem um pau enorme. Felicidade em encontrar mais uma projeção perfeita de tudo aquilo que a gente sonha ter um dia. Um filme para quem tem pinto pequeno se deliciar e acreditar que, mesmo sem um órgão na medida certa, ainda existem carros, dinheiro e poder para a mulherada cair em cima.

Até porque quem tem pau grande não assiste a filmes.
Ele ESTÁ nos filmes.
Pornôs, é claro.

Uh-la-lá!



***



Enfim, meme filme, Nana. Tô liberada agora? ^___^

8 comentários:

Luci, perdida, ás, de copas... disse...

e eu não consegui ler isso sem parar de pensar no Brad Pitt em Tróia...

mando-te amanhã a porra da imagem de merda que ficou pequena lá no meu blog.

Nana disse...

haha. tá liberada. amei o texto, valeu esperar xD

bom, eu espero estar livre sábado a noite. na verdade, minha vó se opera sexta... mas se tudo der certo - e dará - tô livre.

mas ... qual é o convite?

Nana disse...

ah sim... e depende do convite, né?
=P

natusch disse...

Ah, o Homem de Ferro nem é dos mais fodões, na moral... O Tony Stark até deve ter pau pequeno. O negócio é que ele é RICO PACARAIO, daí pode aproveitar os intervalos entre uma e outra foda espetacular para construir uma armadura super-poderosa que custa milhões e milhões de dólares =P

Aliás, detalhe irrelevante: a única fase da revista do Homem de Ferro que eu realmente me prestei a ler foi a que ele virou um tremendo alcóolatra, ficava jogado nos botecos fedidos enchendo a cara enquanto um picareta roubava a fortuna dele. De certo modo era legal ver o cara se fodendo, hehehe...

(E sim, fui eu quem cometi o poeminha lá. Desculpe, não faço mais) =P

brunette disse...

Desconfio sempre de homens com carrão, hehe.

Quer filmes que explorem emoções sutis de maneira sensível e tocante?Cinema argentino, virei fã.

Vertigo disse...

eu não me senti de pau pequeno nesse filme, me senti no transformers siushahsaiuashiuashiashhsa




eu nem quero uma armadura fudida e um monte de mulher, pra que eu ia quere isso quando se tem 10 robos gigantes que viram qq carro? SAHAIUHSAHIUHSAIASHUASHIU
waaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

brunette disse...

Ah sim, e quanto a uma grife de calças especiais para bundudas, é um dos meus projetos empresariais. Aceito sócias.

Frau Bersch disse...

nada! teu pau é enorme!